Anchorage

TEMPORADA 1 – ALASKA

ETAPA 2 -ANCHORAGE

  • SMS01 8/5 – Depois do café da manhã me despedi de Atma e ganhei uma bela e melada lambida no rosto de numel. Denai me levou para o aeroporto, de onde um taxi aéro partiria me levando até a cidade de Anchorage. No aeroporto abracei forte o fazendeiro, que respondeu com um sorriso no rosto. “Não sei por quantos lugares você ainda vai passar, mas quando seu eevee puder vencer meu growlithe, espero que retorne para uma revanche.” – disse Denai. Depois ele voltou para a caminhonete e se foi. Olhei para as montanhas ao longe, e respirei fundo. Era hora de começar uma nova etapa da viagem.
  • SMS02 – Tive muitos problemas no aeroporto em kantishna, no Denali. O avião demorou a chegar e passei a tarde sem ter o que fazer. Se soubesse poderia passar mais tempo com Denai e Atma, mas de qualquer forma não fiquei sozinho. Deixei todos os meus pokémons saírem de suas pokebolas, e eles brincaram felizes no jardim do aeroporto. Agora estou voando para Anchorage, e a grande cidade fica linda no anoitecer vista do avião. Estou enviando uma foto para vocês verem.

Achorage chegada

  • SMS03 – Do aeroporto de Anchorage segui de táxi até o Centro Pokémon, onde a enfermeira Joy de Anchorage me recebeu muito bem. Ela prometeu me orientar para que eu possa conhecer a tudo na cidade, e jurou de pés juntos que vou gostar mais de Anchorage do que de Kantishna. No monento estou sentado na cama. Outra cama, outro centro pokémon, outras aventuras. ^^ Os planos para começar a conhecer a cidade é fazer u ma visita ao museu amanhã de manhã.
  • SMS04 9/5 – Dormi bem no centro pokémon de Anchorage. Ao acordar, tomei o café da manhã, e Joy me orientou para chegar até o museu. Infelizmente o museu estava fechado. O segurança local disse que o administrador do museu não havia aparecido ainda, e que talvez estivesse resolvendo assuntos no jardim botânico de Anchorage. Uma pena, mas eu não queria perder a manhã, então perguntei ao guarda um bom local para se conhecer na cidade.
  • SMS05 – A cidade é muito grande e existem muitas coisas interessantes. Conheci o lago Hood de pouso de hidro-aviões de Anchorage, onde existe a maior concentração do mundo desses aeroplanos. Tinha muitos wingulls voando por lá tbm. Conheci tbm o prédio histórico da prefeitura, o teatro, e a Estação Ferroviária do Alaska.
  • SMS06 – Estou me praparando pra dormir agora, e espero que amanhã o museu esteja aberto. Enfermeira Joy me disse que existem muitos fósseis pokémon lá.
  • SMS07 10/5 – Depois de acordar bem cedo segui para o museu, onde encntrei o mesmo segurança e as portas fechadas do estabelecimento fechadas. O problema era o mesmo de ontém. A equipe do museu estava toda no jardim botânico. Aquilo me deixou intrigado, então resolvi seguir para o jardim botânico.
  • SMS08 – O jardim botânico fica longe da cidade e tem uma vasta área de natureza. Percebi a grande movimentação logo na chegada. Na recepção descobri que haviam encontrado um fóssil pokémon nas terras do jardim botânico, por isso, toda a equipe do museu estava lá pesquisando. Conversei depois com Charles, pesquisador pokémon chefe do museu, e ele me disse que suspeita que o fóssil ainda contenha magia pokémon, e que, talvez, possa voltar a vida com um esforço da equipe. Charles era amistoso, mas parecia bem atarefado com seu jaleco branco. Mesmo assim, percebendo que eu era um expedicionário PokeGeo, me convidou para me hospedar nas instalações do jardim botânico. é claro que aceitei, mesmo por que, amanhã a chefe do jardim botânico estará aqui para me mostrar melhor o lugar.
  • SMS09 11/5 – Quando Acordei de manhã, só podia ouvir o piar de passarinhos. Toda a bagunça do dia anterior havia desaparecido. Miki, a botânica chefe do jardim botânico me esperava para tomar café da manhã, e disse que eles haviam retirado o fóssil durante a madrugada e levado para o museu. Ela é uma moça linda e jovem, com cabelo ruivo cortado em franla e um rabo de cavalo. Depois do café ela me levou po um passeio no pelo jardim.
  • SMS10 – Descobri muitas coisas no passeio com Miki durante a tarde. Descobri que o jardim botânico abriga 1.100 espécies de plantas, das quais 150 são nativas do Alaska. Vi muitos pokémons plantas e insetos pelo jardim, e Miki disse que é proibido batalhar contra eles no território do jardim. Dos pokémons mais interessantes que eu vi, gostei particularmente de um snover, e de um grupo de sunfloras. Gostei tanto do caminho das flores selvagens por onde Miki me levou, que resolvi deixar meu bulbasaur sair para conhecer o lugar. Miki ficou entusiasmada quando viu que eu tinha pokémons, tipo planta em especial. Só então descobri que além de botânica chefe, ela é também líder do Ginásio Pokémon de Anchorage Oo! O maior ginásio do Alaska. Só pra não passar em branco, fiz muitas fotos no jardim botânico, mas estou com problemas na conexão e não posso enviá-las para o blog agora, assim que possível mostro elas pra vocês ^^.
  • SMS11 12/5 – Dormi mais um dia no jardim botânico, e Miki me deu uma carona para a cidade depois do café da manhã. Me mostrou alguns lugares que eu ainda não conhecia, e depois fomos ao seu ginásio pokémon. O famoso ginásio de Anchorage. Vários alunos nos receberam, e a frente do ginásio tem um belo jardim. Me convidou para me hospedar lá, e assistir alguns dos treinamenos dos alunos. Claro que não neguei o convite.
  • SMS12 – A noite, Miki me mostrou a arena de batalha, e disse que se eu quisesse poderia batalhar contra um de seus alunos no dia seguinte. Aquilo me pegou de surpresa, mas aceitei a batalha. Não sou um treinador especializado em batalhas, mas sim em sobrevivência, e batalhar em uma arena pokémon vai ser demais. De cara ja escolhi meus competidores. Será uma batalha de 2×2 pokémons e eevee e bulbasaur serão meus competidores.
  • SMS13 13/5 – Acordei cedo e fui praticar com meus pokémons. Não quero fazer feio. Miki me disse que pokémons planta que treinam no jardim botânico costumam aprender novos ataques, e talvez meu bulbasaur tenha aprendido alguma coisa brincando por lá. Meus maiores trunfos serão as folhas navalha de bulbasaur e a mordida de eevee. Mas se o oponente vier com pokémons tipo fogo e lutador terei poucas chances.
  • SMS14 – Agora estou sentado em meu quarto, depois do almoço, no ginásio pokémon de Anchorage. Consegui restabelecer a conexão com o blog e estou enviando a foto do jardim botânico de Anchorage.

ABG Pokegeo

  • SMS15 – A arena é linda, um belo campo gramado. O aluno de Miki estava do outro lado e chamou seu primeiro pokémon, Cherubi. E eu chamei eevee para o campo. Foi um primeiro round difícil, mas eevee saiu vencedor^^. Miki torceu o nariz com aquilo, mas eu fiquei feliz. Ele chamou o segundo pokémon então, um snover. Derrubou meu eevee com um sopro gelado, e fiquei com medo daquilo. chamei bulbasaur, mesmo sabendo que o ataque gelado poderia derrubá-lo. Tive sorte porque snover atacou com tempestade de neve, e errou. bulbasaur atacou com uma trobada de corpo, depois, para minha surpresa, um raio solar. O sol brilhava forte, e o raio solar saiu de repente. Foi muito poderoso, e Miki sorriu com aquilo. Ela adorava pokémons tipo planta e aquele ataque ele não sabia, até agora. A batalha havia acabado, snover não suportou os ataques de bulbasaur, e eu me saí vencedor. Agora estou sentado na cama do ginásio, e amanhã voltarei ao jardim botânico com Miki para pegar um material que Charles, pesquisador chefe, havia esquecido lá.
  • SMS16 14/5 – Hoje faz uma semana que estou na cidade de Anchorage. Fomos até o jardim botânico, eu e Miki, para recolher o resto do equipamento que Charles havia esquecido. Charles disse que teria uma surpresa para nós quando chegassemos ao museu, mas não estavamos muito apressados. Miki disse que provavelmente bulbasaur aprendeu o raio solar enquanto brincava no jardim botânico, e por isso deixei ele sair para brincar mais. Aí vai a foto para vocês verem.

Bulbasaur

  • SMS17 – Passamos no museu para levar o equipamento para Charles e ele nos recebeu muito bem. Nos conduziu até o laboratório e tivemos uma surpresa maravilhosa. O fóssil pokemon estava vivo novamente, como Charles havia dito, e era uma linda e, ainda pequena, lileep. Fiquei impressionado com aquilo. eles haviam conseguido trazer de volta um pokémon que havia vivido nas terras do jardim botânico a milhares de anos atrás. Passamos a tarde no museu conversando, e aprendi muito sobre a cidade e sua história. Estou enviando pra vocês a primeira foto de Anchorage, feita em 1915, quando a cidade era ainda um acampamento base de operários.

Anchorage 1915

  • SMS18 15/5 – Hoje é aniversário do meu irmão, e fico triste de estar tão longe. Espero que ele esteja acompanhando o blog^^. Dormi no ginásio de Anchorage como hóspede de Miki, tomei um belo café da manhã. Provavelmente seja meu último dia em Anchorage. Fiquei um tempo sozinho no campo de batalha do ginásio, só eu e meu bulbasaur, pensando muito em tudo que havia acontecido. Essa grande cidade ainda guarda segredos selvagens, como os fósseis, e o jardim botânico, de onde bulbasaur tirou tanto poder e energia para aprender o raio solar. Fiquei feliz por ter vencido uma batalha de ginásio oficial, e Miki disse: “Você pode não ser um treinador de batalhas da liga, mas da maneira como cuida de seus pokémons, isso pouco importa. A vitória é uma consequencia“. De fato, jamais havia imaginado que meu bulbasaur pudesse vencer. Estou enviando uma imagem do campo de batalha de Anchorage.

pokemon  arena

  • SMS19 – Depois do almoço passei no centro pokémon para agradecer e me despedir da enfermeira Joy. Passei o resto da tarde descansando no ginásio de Anchorage. A cidade é grande, o povo amistoso e a vida ainda é selvagem ao redor dela. Mais a tarde agradeci muito a Miki pela acolhida e por ter me mostrado tudo. Ela me perguntou qual seria a próxima parada da PokeGeo, e eu disse que seria em Seward, e que gostaria de ver um grande walrein lá. Ela sorriu. O irmão dela era líder do ginásio de Seward e pesquisador de geleiras. Miki ficou feliz com meu próximo ponto a ser visitado, e quis me acompanhar na viagem para Seward.
  • SMS20 – É quase noite agora, e estou no carro com Miki seguindo para Seward, a próxima etapa PokeGeo. Paramos um pouco para apreciar a vista de Anchorage. Me lembro da chegada na cidade, mais de uma semana atrás, e de jamais ter esperado encontrar uma cidade tão grande assim em um ponto tão inóspito. Um local que guarda segredos selvagens e grandes centro e ginásio pokémon. Nunca vou esquecer ter visto um fóssil se ternar vivo novamente, nem o que a magia do jardim botânico fez com bulbasaur. São tantas pessoas para conhecer e lugares para visitar que um ano seria pouco, e uma semana então, não é nada. Mas a jornada continua, minha e de meus pokémons. Está esfriando, e Miki me chamou para continuar a viagem para Seward. Espero que continuem me acompanhando, e aproveitem a vista.

Anchorage sunset

< VOLTAR

ETAPA 3 – SEWARD >

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s