Kodiak

TEMPORADA 1 – ALASKA

ETAPA 4 -K0DIAK

  • SMS01 24/5 – É minha primeira mensagem na quarta etapa de minha viagem pelo Alaska. Estou no barco de Taylor, e no momento estamos parados em uma das baias de Kodiak. É noite, e está tud escuro, o tempo fechou repentinamente e o mar ficou bravo. Por sorte Taylor lançou mão de seu amigo lanturn, um pokémon tipo peixe, que ajuda Taylor a navegar no escuro, usando sua luz como guia. Graças a lanturn chegamos a segurança dessa baia, onde as ondas não nos ameaçam.
  • SMS02 – O tempo melhorou e seguimos para a cidade de Kodiak onde fica a maior concentração de pessoas na ilha. O barco foi ancorado, e agradeci muito Taylor pela carona, e ele, atencioso, resolveu me acompanhar em um passeio pela cidade. O mau tempo não o permitiria navegar de qualquer forma. Agora estamos acomodados para passar a noite no centro pokémon da cidade de Kodiak. Cai uma chuva pesada lá fora, e enfermeira Joy disse que o tempo será assim, imprevisível. Pela manhã planejo procurar um guia aqui na cidade, chamado Sitka, que irá meconduzir em uma busca pelo grande ursaring de Kodiak…
  • SMS03 25/5 – Acordei cedo para procurar Sitka, e Taylor me esperava na mesa de café. A chuva caía preguiçosamente, mais parecendo uma película de água no ar, mas o tempo continua com o céu fechado e cinzento. Caminhamos pela cidade, em busca de Sitka, e Taylor me levou até a base dos Rangers pokémon de Kodiak, para pergutar a respeito de um guia. Descobri então que Sitka era mesmo um Ranger pokémon, uma agradável surpresa. Agora estou na base dos Rangers de Kodiak esperando para almoçar com Sitka, que me parece ser uma ótima pessoa.
  • SMS04 – Depois do almoço Sitka me levou para conhecer a cidade Kodiak. Taylor ja conhecia o local mais ou menos, então não aproveitou muito o passeio. Eu, por outro lado, fiquei feliz com o tour. Sitka me disse que a cidade de Kodiak tinha uma festa tradicional do caranguejo. Na verdade a cidade pe conhecida por ser a “capital do caranguejo”. Foi muito interessante saber disso, e ver como os kinglers são adorados nessa cidade.
  • SMS05 26/5 – Depois de passar mais uma noite chuvosa dormindo na base Ranger, eu, Taylor e Sitka resolvemos que seria interessante conhecer melhor a ilha e, principalmente, ver os grandes ursos. Sitka pegou vários mantimentos, e disse que seria melhor se viajássemos a pé no começo, pois assim seria mais fácil encontrar a trilha de um grande urso. Assim mesmo, Sitka foi minucioso nos preparos para a viagem, e disse que era muito perigoso viajar desprevinido no Alaska.
  • SMS06 – Partimos logo depois do almoço. Como todo Ranger pokémon Sitka tinha um parceiro pokémon, um primplup. Comentei com ele e Taylor que havia conhecido Takti na região de Kantishna, mas não tinha conhecido o parceiro pokemon dela. Sitka me disse que o pokémon de Takti era um fearow que voava muito alto, e raramente vem ao solo, só quando ela chama. Agora está anoitecendo e estamos em uma trilha nos embrenhando na floresta. Concordamos que é melhor parar e armar acampamento antes que escurecesse. Estamos vestindo capaz de chuva e o frio as vezes parece congelar a água sobre a roupa. Armamos as tendas e ficamos conversando em volta de uma fogueira até o sono chegar.
  • SMS07 27/5 – Acordei com a chuva tamborilando na barraca, e com snorunt olhando para fora da tenda. Ele havia saído da pokébola. Sitka ja estava do lado de fora e tinha desfeito sua tenda e ja preparava chá quente sob uma árvore. Taylor foi o último a acordar. Durante o café da manhã chuvoso Sitka nos informou que uma oficial Jeny o havia chamado pelo rádio. Ele tinha a missão agora de verificar possíveis caçadores pokémon que haviam sido vistos a oeste. De acordo com a oficial de polícia não seria difícil encontrá-los, pois usavam um grande balão em forma de cabeça de meowth (isso mesmo!) para viajarem.
  • SMS08 – Depois do almoço o tempo melhorou, até abriu um tímido solzinho por entre as nuvens. Sitka nos conduziu por uma trilha até uma encosta, e Taylor teve a idéia de aproveitar o sol para subirmos no ponto mais alto do morro e procurarmos o balão dos caçadores. Assim fizemos. A vista era simplesmente fantástica, e pedi a Taylor que fizesse uma foto minha para que vocês tenham uma idéia de como é o local. Agora é quase noite. Acabamos de montar acampamento e não encontramos balão algum. Sitka acredita que o vento tenha levado o balão mais para oeste. Amanhã marcharemos mais, quem sabe encontramos os caçadores, ou um grande urso marrom.
  • Guikao_snorunt_Kodiak

  • SMS09 28/5 – Acordamos com o sol brilhando e as nuvens de chuva pareciam se dissipar. Marchamos mais por uma trilha conhecida por Sitka e encontramos rastros de ursos, como uma grande árvores toda arranhada. Sitka me disse que os Ursarings fazem isso para treinar ataques e afiar as garras. Mais tarde vimos o balão dos caçadores na distância. O vento levava eles mais ao oeste, em direção das Montanhas Aleutas. Sitka observou por um tempo, e disse que seria difícil alcançá-los por terra, pois perderiamos eles de vista em breve. Então lancei mão de meu mais novo amigo. Um pokémon jovem, recém saído do ovo, enviado para mim por um amigo distante chamado Fábio. Chamei Yanma para fora da pokébola, e pedi a ele que seguisse o balão e nos informasse do destino dele.
  • SMS10– Marchamos durante a tarde, e pude perceber que o trabalho de Sitka não é nada fácil. Chegamos a um rio muito conhecido por Sitka e resolvemos ganhar tempo usando kaiaks sedidos pela comunidade ribeira, onde havia um ponto de pesca turística e esportiva. Seguimos o rio até o entardecer. Agora está de noite e arrastamos os kaiaks para fora do rio para montarmos acampamento. Yanma retornou a pouco, e Sitka acha que amanhã encontraremos os caçadores, pois Yanma sabe onde fica o acampamento deles. Fiz uma foto do rio para vocês.

Kodiak

  • SMS11 29/5 – Acordamos bem cedo, entramos nos kaiaks e seguimos Yanma até o acampamento dos caçadores. Pareciam duas pessoas e um pokémon, um meowth talvez. Sitka avisou a policial Jeny que havia localizado os caçadores, e que pareciam fazer parte de uma organização, pois usavam uniformes, depois bolamos um plano para pegá-los. Yanma surpreendeu eles com uma ataque sônico vibrando suas asas, e eles ficaram confusos com o barulho, e primplup atacou com um sopro congelante, para deixá-los bem quietinhos. Funcionou e eles caíram como pedras de gelo. ^^ Agora estamos dentro de um buraco bem fundo, uma armadilha cavada pelos caçadores. Caímos aqui quando fomos nos aproximar para prender os malfeitores, e ainda não conseguimos sair.
  • SMS12 – Foi difícil sair do buraco. Além de ficarmos muito tempo lá, ficamos sujos de terra e lama. Yanma levou bulbasaur para fora do buraco e saímos usando o cipó dele. Só assim conseguimos, e bulbasaur foi o herói do dia. Taylor estava cansado, e torceu o tornozelo na queda, e Sitka ficou furioso, porque quando saímos os três vilões ja haviam fugido. Sitka disse que eles dificilmente voltariam a aprontar alguma aqui em Kodiak, pois nós os haviamos dado um susto e tanto. De qualquer forma não havia muito que podiamos fazer. Sitka informou o ocorrido para a policial Jeny pelo rádio, caminhamos mais um pouco e logo precisamos montar acampamento. Foi o dia menos produtivo de minha viagem no Alaska até agora, passei grande parte dele no buraco.
  • SMS13 30/5 – Levantamos o acampamento cedo e começamos a voltar para a cidade de Kodiak quando nos deparamos com algo surpreendente. Um grande e selvagem ursaring pescava em um córrego estreito. Não perdi tempo e fiz uma foto para vocês verem.

ursaring

  • SMS14 – Fiquei feliz em ver um Ursaring, e agora estamos montando acampamento para dormir. Podemos ver as luzes da cidade de Kodiak na distância, mas resolvemos não continuar a marcha durante a noite. Recebi uma mensagem de meu amigo, Fábio, o mesmo que me enviou Yanma, e ele me disse estar na reserva Katmai. Coincidência a parte, respondi a mensagem dizendo que vou encontrá-lo para descobrir exatamente o que ele pretende aqui no Alaska.
  • SMS15 31/5 – Chegamos a cidade de Kodiak logo após o meio dia. Sitka fez questão de nos hospedar na base Ranger novamente, onde tomamos um bom banho e comemos alguma coisa. Disse a Sitka que seu trabalho de manter a segurança era duro e que estava muito agradecido em tê-lo como guia. Mais tarde Eu e Taylor voltariamos para o ancoradouro, e Taylor disse que ficaria feliz em me levar até a reserva Katmai para me encontrar com Fábio.
  • SMS16 – No ancoradouro, pouco antes de embarcar, dei um forte abraço em Sitka, e fiquei agradecido pela sua companhia. É sempre um pouco triste deixar um lugar tão belo quanto a ilha Kodiak, mas Sitka tinha trabalho a fazer, e eu não poderia mais atrapalhá-lo. Taylor me chamou para o barco e disse que poderiamos pegar um pouco de chuva na viagem. Sitka abanou a mão se despedindo enquanto o barco partia em direção ao por do sol, e amanhã pela manhã estaremos aportando em Katmai. Agora estou deitado em uma rede dentro do barco enquanto Taylor nos conduz pelas águas geladas do mar, e fico pensando no grande ursaring que vimos, então começo a imaginar que surpresas me aguardam em Katmai, e o que Fábio está fazendo lá.

< VOLTAR

ETAPA 5 – KATMAI > (BREVE)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s